A semana que começa
Acordo “Fase 1” CHINA / EUA assinado

O tema desta semana será, finalmente, a assinatura da ”Fase 1” do acordo comercial entre os EUA e a China. Donald Trump já anunciou via tweet que se deslocará futuramente a Pequim para conversar com Xi Jinping sobre a segunda fase.


Na área do euro, a nível macroeconómico, destacamos esta semana as minutas do BCE na quinta-feira e os detalhes finais da inflação na sexta-feira. Estes detalhes da inflação são importantes para a avaliação do banco central e pode levar o mesmo a rever a avaliação de risco de crescimento, embora provavelmente não o fará até ao mês de Março.
A Presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, discursará ainda na próxima quinta-feira.

O valor mensal do PIB do Reino Unido na segunda-feira esclarecerá se o Banco da Inglaterra estará ou não, no curto prazo, no sentido de cortar taxas de juro, com as atenções estão voltadas para a data do Brexit a 31 de Janeiro.

Nos EUA, teremos a inflação na terça-feira, as vendas a retalho na quinta-feira e a confiança do consumidor na sexta-feira. As duas últimas são as mais importantes para o mercado avaliar, do ponto de vista económico, se a onda de gastos do consumidor continua. As vendas a retalho são notoriamente mais voláteis e mais difíceis de avaliar.

Na China, é divulgado o PIB do quarto trimestre, que se espera ver inalterado em relação ao trimestre anterior a 6,0%. Devemos verificar a um crescimento de 6,15% em todo o ano de 2019. Dados sobre produção industrial e vendas a retalho fornecerão ainda algumas informações sobre o estado da economia.

Na Turquia teremos decisão de taxas por parte do Banco Central. Espera-se que o banco central opte pela manutenção de taxas, no entanto poderemos assistir mesmo a um novo corte de taxas de juro.

Começa também esta semana a primeira época de apresentação de resultados deste ano.
O destaque vai para a banca que irá divulgar os resultados do JP Morgan Chase, Citi Group, Wells Fargo, Bank of America, Goldman Sachs, etc. e fora do sector financeiro a Alcoa.