Café da Manhã
Acordo com China ...

Optimismo em torno da assinatura do acordo comercial entre os EUA e a China, assim como a diminuição das preocupações com as tensões entre os EUA e o Irão, levaram de novo a um sentimento positivo nos mercados financeiros.


O presidente dos EUA, Donald Trump, absteve-se de ordenar mais acções militares, e o ministro das Relações Exteriores do Irão disse que os ataques com mísseis nas bases iraquianas que abrigam as forças dos EUA "concluíram" a resposta de Teerão.

Os principais índices norte-americanos voltaram a negociar em alta e a terminarem a sessão em novos máximos históricos.
O índice Dow Jones avançou 0,74%, o S&P 500 0,67% e o índice tecnológico Nasdaq liderou ganhando 0,81% no final da sessão.

Na Ásia as acções terminaram a última sessão da semana duma maneira geral com a confiança dos investidores de volta.
No Japão os índices Nikkei e Topix ganharam 0,47% e 0,35% respectivamente.
Na Austrália e depois de esta noite as vendas a retalho relativas a Novembro terem mostrado um aumento de 0,9%, bem acima do esperado, o índice ASX 200 terminou a subir 0,80%.
Só o índice Shanghai Composite na China mostrou um ligeiro recuo ao terminar a cair 0,08% mas o Hang Seng em Hong Kong avançou 0,29%.

Na Europa, os mercados estão a iniciar esta sexta-feira sem direcção definida. O Euro Stoxx 50 segue de momento a recuar 0,14%, enquanto o Dax na Alemanha avança 0,07%.
Em Londres o FTSE 100 segue a negociar sem alteração ao preço de abertura.