Café da Manhã
Médio Oriente - tensão aumenta

Esta noite o Irão atacou a base iraquiana Al Asad que serve de base das tropas norte-americanas e aliadas, fazendo aumentar ainda mais as tensões no Médio Oriente com os EUA.


Ontem, depois de uma forte sessão na Ásia e um mercado europeu duma forma geral a negociar em terreno positivo, os mercados accionistas norte-americanos acabaram por voltar a terminar o dia em perdas, embora de certa forma comedidas, entre um recuo de 0,03% do Nasdaq e 0,42% do índice Dow Jones.

No início da noite, notícias de um ataque iraniano à base Al Asad no Iraque, onde se encontram as tropas norte-americanas e aliadas, levou de novo os investidores para uma forte aversão ao risco.
O iene voltou a ganhos com o USDJPY a cotar abaixo de 108,00. O ouro voltou a cotar acima de $1600, máximos dos últimos seis anos e os preços do petróleo voltaram de novo a registar máximos com o WTI a cotar acima de $65,00 e o Brent acima dos $70,00.
Entretanto, com o Irão a afirmar que não está à procura de uma guerra, os preços do iene, do petróleo e do ouro reverteram parte dos ganhos acentuados registados.
O presidente dos EUA, Trump, fará uma declaração ainda hoje.

Na Ásia, as acções voltam a negociar em terreno negativo com os investidores a voltarem ao sentimento de aversão ao risco.
No Japão o índice Nikkei cai 1,57% e na Austrália o ASX 200 perdeu 0,13%.
Na China o índice Shanghai Composite perdeu 1,22% e o Hang Seng em Hong Kong 0,96%.

O sentimento negativo e os receios de uma escalada na situação no Médio Oriente leva também os investidores na Europa a fugirem de activos de risco e as bolsas europeias estão a abrir em perdas.
O Euro Stoxx 50 cai de momento 0,34% e o Dax 0,46%. Em Londres o FTSE 100 perde 0,26%.