Café da Manhã
Minutas e resultados empresariais

O nervosismo do mercado aumenta com a aproximação de nova época de resultados empresariais que começa mais seriamente hoje com a divulgação dos relatórios do JPMorgan Chase & Co. e com as minutas da última reunião do Fed.


Os analistas estão à espera de assistir a um forte crescimento dos lucros empresariais nos Estados Unidos no terceiro trimestre, mas várias empresas têm alertado sobre os problemas que têm vindo a enfrentar, como os problemas da cadeia de suprimentos e os preços mais altos de componentes, energia e mão-de-obra.

Nos Estados as acções terminaram a sessão de ontem em terreno negativo, tendo contribuído para tal preocupações por parte dos investidores em torno da apresentação de resultados que se aproxima, tal como a redução de estímulos monetários por parte da Reserva Federal.
O índice Dow Jones recuou 0,34%, o S&P 500 0,24% e o Nasdaq 0,14%.
O índice do medo, VIX, terminou o dia de ontem ligeiramente abaixo de 20, apesar da “onda vermelha” desde a Ásia aos Estados Unidos.

O dia de hoje, começou com os mercados accionistas asiáticos a negociarem sem direcção definida.
Na China o aumento das exportações levou a um aumento do saldo positivo da balança comercial levando as acções a terminarem o dia em terreno positivo. O índice Shanghai Composite avançou 0,42% e o Hang Seng, em Hong Kong 0,23%.
No Japão o índice Nikkei recuou 0,32% e o ASX 200 na Austrália 0,11%.
Na Coreia do Sul, o índice Kospi ganhou 0,96%.

Na Europa o dia está a começar de uma maneira geral em terreno positivo com excepção das acções no Reino Unido depois dos dados do PIB divulgados já hoje terem mostrado um crescimento económico aquém do esperado.
O índice Euro Stoxx 50 avança de momento 0,43% e o DAX, na Alemanha, 0,59%.
No Reino Unido o índice FTSE recua 0,35%, enquanto o CAC, em França, avança 0,11%.

No mercado cambial assistimos ontem uma vez mais a um “super dólar”. O DXY registou um novo máximo do ano ao atingir 94,55 e o EUR/USD um novo mínimo do ano, desta vez a 1,1524. O dólar está a começar o dia de hoje a recuar desses ganhos com o EUR/USD em torno de 1,1560, com os investidores a aguardarem por um dia com dados da inflação, minutas do FOMC e o início da apresentação de resultados empresariais. A forte valorização do dólar continua a fazer-se sentir bem face ao iene, com o USD/JPY ontem a atingir um máximo a 113,79 o que não acontecia desde Dezembro de 2018. A coroa norueguesa e o dólar canadiano seguem também a negociar em ganhos com o EUR/NOK abaixo de 9,90 e o USD/CAD a aproximar-se de 1,2400.

Os preços do petróleo seguem a negociar recuando dos máximos do ano mas ainda muito perto dos mesmos, enquanto os investidores aguardam por mais sinais de possível recuo na procura devido aos elevados preços.
O Brent está a negociar em torno de $83,00 por barril e o WTI a $80,30.